DSC08690

Que o Colab aproxima o cidadão do poder público você já sabe. Que ele promove uma gestão mais colaborativa e transparente, na qual o cidadão participa como fiscal dos problemas da cidade e do trabalho da prefeitura, isso você também já está ligado. Mas você sabe como tudo isso acontece na prática, lá dentro do poder público? Nesse texto a gente vai te contar um pouquinho sobre como isso acontece.

Acreditamos que a mudança precisa vir também de dentro do poder público. E para que isso ocorra, um dos principais pilares é a comunicação. Para tanto, sempre que uma cidade adere ao módulo Premium do Colab, um de nossos city managers, responsável pela implementação do projeto, vai até a cidade e inicia um trabalho que cobre treinamentos, escuta de feedback, mas também trata de governança.

E é aí que surge o CAC – Comitê de Atendimento ao Cidadão, espaço no qual, periodica e rotineiramente, técnicos da gestão municipal se reúnem para discutir casos que precisam de uma intervenção intersetorial. Em Teresina, técnicos da Prefeitura reuniram, no dia 09/07, para avaliar e alinhar o monitoramento operacional da ferramenta.

De acordo com o secretário executivo de Orçamento e Gestão da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), Roberto Moita, o comitê será responsável pelo monitoramento das ações feitas por meio do Colab e também um elo entre as secretarias envolvidas.

“O aplicativo abriu um canal de comunicação transparente, onde a população quer respostas rápidas às suas demandas. E, a partir do comitê, queremos trabalhar de forma ainda mais integrada e criar uma rotina de atendimento para aumentar a velocidade dessa comunicação com a população”, explica.

Ele lembra que o aplicativo serve como ponte para que o poder público saiba de forma mais ágil dos problemas da cidade e, assim, tente resolvê-los da melhor forma possível.

O Comitê de Atendimento ao Cidadão faz parta da estrutura de governança do Colab.re. Fazem parte do comitê técnicos das secretarias municipais de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) e de Comunicação (SEMCOM), Fundação Municipal de Saúde (FMS), Ouvidoria e do Colab.re.